Família

“Não olvides que teu filho, sendo a materialização do teu sonho, é também a tua obra na Terra. Às vezes é um lírio que plantaste no tempo, contudo, na maioria das ocasiões, é um fragmento de mármore que deixaste à distância. Flor que te pode encorajar ou pedra que te pode ferir. Recebe-o, pois, como quem encontra a oportunidade mais santa de trabalho no mundo. Não lhes abandones o espírito à liberdade absoluta, para que não se perca ao longo da estrada, e nem cometas a loucura de encarcerá-lo em teus pontos de vista, para que o teu exclusivismo não lhe desfigure as qualidades inatas para o infinito bem. Ajuda-o, acima de tudo, a crescer para o ideal superior, assim como auxilias a árvore nascente, em ímpeto ascencional para a luz. Livra-o das deformidades mentais, tanto quanto proteges o vegetal proveitoso contra a invasão da erva daninha. Ser pai é ser colaborador efetivo de Deus na Criação. Receber um filho é deter entre os homens o mais sagrado depósito. Não desertes, assim, da abnegação, em que deves empenhar todas as forças peculiares à própria vida, a fim de que o rebento de tuas aspirações humanas se faça legítimo sucessor dos teus mais íntimos anseios de elevação. O lar, na Terra, ainda é o ponto de convergência do passado. Dentro dele, entre as quatro paredes que lhe constituem a expressão no espaço, recebemos todos os serviços que o tempo nos impõe, habilitando-nos ao título de cidadãos do mundo. Exercitemos, desse modo, o amor e o serviço, a humildade e o devotamento, no templo familiar, à frente de nossos amigos ou adversários do pretérito transformados hoje em nossos parentes ou em nossos filhos, e estaremos alcançando nos problemas da eternidade a mais alta e a mais sublime equação.”                                         Emmanuel  –  Fonte: Luz no Lar

A Religião na Formação da Criança

Pais e mães nos dias de hoje são questionados e, por vezes, criticados, quando procuram oferecer uma orientação religiosa aos seus filhos.

Para algumas pessoas, essa conduta gera um cerceamento da liberdade de escolha, que deve ser preservada, principalmente quando se relaciona com a definição religiosa do indivíduo.

Como primeiros orientadores dos filhos, compete aos pais oferecer-lhes sempre o que consideram o melhor, tanto no que se refere às condições materiais, mas igualmente às questões intelectuais, morais e espirituais.

Nenhum pai deixaria à escolha de seu filho a frequência a escola, como também o uso de remédios quando se faça doente. Com o mesmo grau de importância está a formação religiosa da criança, que poderá, ao chegar ao final da adolescência possa optar se permanecerá no caminho que lhe foi indicado.

Assistamos o tema que foi tratado no Programa Sagrado e façamos as nossas reflexões pessoais.

Muita Paz!

DIJ/FEB

OS FILHOS E A RELIGIÃO DOS PAIS   –  TV GLOBO – CANAL FUTURA – SAGRADO

FAMÍLIAS NOVAS –  TV GLOBO – CANAL FUTURA – SAGRADO